São 73 as freguesias do distrito de Bragança com necessidade de reforço de sinal móvel para possibilitar a cobertura de banda larga.
A ANACOM, entidade que regula as comunicações em Portugal, quer que as operadores reforcem a cobertura, uma condição para a renovação das licenças emitidas.
De acordo com um comunicado divulgado na semana passada, a Anacom “decidiu impor à Meo, Nos e Vodafone obrigações adicionais de cobertura de banda larga móvel do território nacional, na sequência da renovação das licenças destes operadores por mais 15 anos”.

Com esta medida, o objetivo  do regulador, é “levar a banda larga móvel a mais pessoas e a zonas cuja cobertura seria mais difícil de alcançar caso os operadores se movessem apenas por interesses estritamente comerciais”. Assim,  as 588 freguesias de todo o país que sogfrem deste constrangimento, serão distribuídas pelos três operadores. Cada um deles escolhe 196 destas freguesias, articulando-se com os seus concorrentes.

Se, dentro de um ano, as empresas não tiverem chegado a acordo, será então o regulador a estipular, por via de um sorteio, quais são as freguesias abrangidas por cada operador.

“A renovação das licenças dos operadores móveis por mais 15 anos produzirá efeitos a partir de 2018, dispondo os operadores do prazo de um ano a contar dessa renovação para assegurarem que a totalidade das freguesias está coberta com banda larga móvel”, sublinha a Anacom. “Considera-se que as freguesias estarão cobertas sempre que seja disponibilizado, a 75 por cento da população de cada uma delas, um serviço de banda larga móvel que permita uma velocidade de transmissão de dados de 30 Mbps (velocidade máxima de download)”.

Uma das freguesias abrangidas é a de Alfaião, mesmo às portas de Bragança.
Já há cerca de um ano que o Mensageiro tinha dado conta das queixas de vários habitantes, alguns deles empresários, para os constrangimentos existentes no acesso ao sinal de internet. “Não se percebe como é possível isto acontecer estando tão próxima de Bragança”, diziam, na altura, Luís Ribeiro e Fábio Leite.
“Já tínhamos reportado a situação às operadoras. Esta posição da ANACOM só vem dar razão àquilo que foi o nosso entendimento na altura”, frisou o presidente da freguesia, António Baptista, ao Mensageiro.

Recorde-se que esta é uma freguesia que tem atraído empresários jovens, por se localizar próximo da capital de distrito.
Mais afastada está Vale das Fontes, no concelho de Vinhais. A própria Junta de Freguesia sofre com este constrangimento. “Só temos internet pelo telefone”, sublinha o presidente, Carlos Caseiro. “Atualmente, a cobertura de rede móvel na minha freguesia é deficitária e carece de cobertura 4G, a população queixa-se das constantes falhas de rede e existem várias reclamações nesse sentido das três operadoras”, acrescenta o jovem autarca.
 
(Notícia completa disponível para assinantes ou na edição impressa)